Mais perguntas e respostas sobre o MKULTRA no Brasil (e a minha experiência)

por seducaoepersuasao

Este post é uma continuação do post anterior “MKULTRA no Brasil – minha experiência com a tortura eletrônica e espionagem remota”. Caso ainda não tenha lido o post sobre a minha experiência de tortura eletrônica e espionagem remota, leia aqui.

 

Pergunta: “Como você recebeu a notícia do Wikileaks que revelou que a CIA espiona tudo e todos, e tudo pode ser hackeado e grampeado, como TVs, carros e até com um aparelho de microondas é possível pegar nosso áudio e imagem, e qualquer coisa eletrônica ligada na tomada pode ser convertida em equipamento espião? Essas revelações foram a prova que não existe privacidade no mundo! Todos podem ser grampeados e monitorados! Você estava certo com seu post de junho de 2016!”

Resposta: Recebi a notícia com surpresa. Não esperava que tão rápido fosse publicada e confirmada na mídia parte das informações obtidas por mim sobre espionagem remota reveladas no meu post de junho de 2016. É bom lembrar que a revelação do Wikileaks, principalmente sobre converter TVs smart em armas espiãs, foi antecipado por mim, lá em em setembro de 2016, numa atualização do mesmo post (veja que também publiquei isso em setembro de 2016 no Twitter e Instagram – veja aqui e aqui). Lá em setembro de 2016 eu já antecipava, no blog, Twitter e Instagram, que todos os dispositivos móveis do planeta estavam sendo grampeados pelos militares, policiais e agentes de serviços secretos, como CIA, NSA, FBI, Pentágono e parceiros. E incentivei que todos tapassem as câmeras frontais dos dispositivos móveis, principalmente do smartphone e laptop. Essa é uma medida que todos podem fazer e serve de provocação para esses caras. Quanto mais eles deixam de ter a nossa imagem sempre que querem e com um apertar de botão, pois é assim que funciona, melhor, mais damos o troco. É a nossa vingança.

 

Pergunta: “Psiquiatras, na grande maioria, não acreditam na tortura eletrônica. Acham que é apenas loucura da sua cabeça. Uma alucinação, paranoia, uma esquizofrenia. Eles não aceitam que as vozes internas são uma tecnologia militar, chamada voice-to-skull. Como você vê isso? Você disse que tomou remédios para esquizofrenia, pois sua família o levou a três psiquiatras. E nenhum remédio parou as vozes internas. Você acha que a psiquiatria vai ter que ser reformulada quando vier na mídia a confirmação que existe essa tecnologia que coloca vozes dentro da sua cabeça e cria uma espécie de esquizofrenia eletrônica?

Resposta: Sim, tomei 7 remédios para esquizofrenia, que deveriam parar as vozes internas. Nenhum adiantou. Ainda sigo com as vozes internas, seja no modo voz morph, pessoas modificando a voz ou se passando por outras, ou de vozes automáticas, aparentemente são disparadas por computadores, como de I.A, ou seja, inteligência artificial. Eu também escuto equipes que aparentemente possuem acesso total a tudo o que eu faço, falo, vejo, escuto, etc, pois elas comentam minhas ações do dia a dia, até mesmo se eu olho ou converso com uma pessoa na rua, ou em qualquer ambiente. Ainda não está claro se essas equipes estão cientes que estou ouvindo elas. Parece que há equipes que ainda não sabem que eu estou ouvindo elas. Enfim, é bem estranho e até bizarro, você receber vozes dentro de você de pessoas comentando o que você faz ou deixa de fazer. É como seu eu fosse o personagem do filme O Show de Truman, mas que escuta a reação das pessoas que o estão assistindo. É difícil de explicar, porque não é apenas vozes, comentários sobre a minha vida, mas eu também recebo sensações. Por exemplo, se algo na minha volta desagrada uma pessoa que está me assistindo, eu recebo uma sensação de desagrado, de rejeição. É complicado explicar, mas é mais ou menos isso. Isso ocorre comigo praticamente 24h por dia. Às vezes, ameniza. Outras vezes, se intensifica. Sobre uma mudança na postura de muitos psiquiatras, sim, com certeza, quando essa confirmação vier a público, e acho que será novamente via WikiLeaks, muitos psiquiatras vão ficar chocados quando souberem que é possível criar uma esquizofrenia de forma eletrônica e remota. Com certeza a esquizofrenia será revista em todo o mundo. E as vítimas serão, ao menos, indenizadas, pois foram julgadas e tratadas erroneamente como malucas, estranhas, doidas, enfim, como seres inferiores e problemáticos. E por conta disso tiveram sério prejuízo em todos os aspectos da vida – o real objetivo da esquizofrenia eletrônica.

 

Pergunta: “É possível alterar e manipular o metabolismo do corpo humano de forma remota? Li relatos de vítimas do MKULTRA que receberam drogas de forma remota. Você acha que isso é possível? Você viveu algo parecido?”

Resposta: Totalmente. Segundo informações que tive, e foram dadas por esses caras que mexem no corpo humano de forma remota, “dá para fazer tudo que é possível de forma física, de forma remota”.  É uma declaração chocante, mas depois de toda a minha experiência com a tortura eletrônica e remota, dá para acreditar nisso. Aparentemente, quando tudo começou, aplicaram em mim drogas de forma remota. Seria possível manipular o cérebro humano, processos mentais, hormônios, e toda neuroquímica, de forma remota, através de ondas eletromagnéticas ou de rádio frequência (não entendo da parte técnica, mas deve ser mais ou menos assim).  Por exemplo, fui atacado em 10 de junho de 2015, e meu pai me encontrou numa situação chocante em 14 de junho, após uma vizinha alertá-lo sobre mim (ele estava no interior do RS, e eu, na capital, Porto Alegre). Quando meu pai me viu, quatro dias após o começo do ataque, segundo ele, eu estava numa situação horrenda, como se estivesse chapado, como se fosse um usuário de drogas pesadas. Lembrando que nunca usei drogas, só álcool, cigarro e uma vez, fumei um único cigarro de maconha. Nunca usei cocaína ou drogas mais pesadas. Nunca me interessei por drogas. Segundo relato de testemunhas do MKULTRA, a grande maioria passa por isso. São drogadas de forma remota e, por conta disso, acabam fazendo coisas que numa situação normal jamais fariam. Eu, por exemplo, fiz coisas malucas na noite de 13 de junho de 2015. Joguei fora minha carteira com dinheiro, documentos e cartões de crédito. Também joguei fora minhas chaves do meu apartamento. Passei a noite na rua, como uma espécie de mendigo, a mando das vozes internas e de alguma droga pesada que meu corpo sintetizou de forma remota. Fui resgatado no dia posterior pela Brigada Militar, a policia militar do RS, que me levou para meu apartamento. E vizinhos então me ajudaram até que meu pai chegasse da viagem que fez do interior até a capital, cerca de quatro horas depois. Parece que essas drogas que eles ativam a distância no indivíduo alvo desliga momentaneamente o observador, ou seja, a mente consciente, o racional, a inteligência. Do contrário, eu jamais jogaria minha carteira fora, além das minhas chaves de casa. E não passaria a noite inteira na rua, como um indigente. É só um exemplo do que é possível fazer com um ser humano a distância através dessa tecnologia hi-tech de alteração e influência corpórea e mental, tudo de forma remota.

 

Pergunta: “Você fala em indenização para as vítimas do MK ULTRA no Brasil. Você acha que isso vai acontecer mesmo? Qual o valor que você acha que pode receber do governo americano se a sua tortura eletrônica for comprovada e que você é mais uma das vítimas do MKULTRA?”

Resposta: Não tenho dúvidas que vai ter uma indenização. Basta que provas do MKULTRA cheguem a grande mídia, igual aconteceu com a espionagem remota da CIA via Wikileaks. Por exemplo, segundo a mídia, os EUA vigiaram cerca de 11 milhões de famílias via TVs espiãs. Agora mesmo está se articulando por lá uma requisição de indenização. O governo americano vai ter que indenizar todo americano onde não conseguir provar que a espionagem fazia sentido, ou seja, quando o espionado não oferecia perigo algum a soberania nacional. Enfim, não era terrorista ou criminoso. Com o MKULTRA é bem mais grave, pois as vitimas sofreram experiências absurdas e horrendas sem nenhum consentimento e, obviamente, sem ganhar um centavo sequer. Quanto ao valor, ao menos US$ 5 milhões de dólares para as vítimas do MKULTRA no Brasil. É o valor mínimo que vamos tentar obter do governo americano para cada vítima brasileira. E é um valor pequeno diante das experiências absurdas e da crueldade dos experimentos que cada vítima sofreu.

 

Pergunta: “Essa história toda é muito bizarra. Já faz quase 10 meses que você está denunciando pessoas importantes e até agora ninguém te procurou para investigar as denúncias ou para limpar o nome, caso essas pessoas que você denunciou sejam inocentes. É muito estranho! Culpadas ou inocentes, alguém ligado a elas deveria ter te procurado porque são denúncias gravíssimas! Qual a explicação? Acho que o mais lógico seria a criação de filtros de censura, então inocentes ou culpadas, as pessoas listadas no seu blog não estão sabendo de nada. Seria isso? Afinal, se esses caras controlam o planeta e até a psique humana, eles podem bloquear um site como o seu blog e contas do Instagram e Twitter para os envolvidos, sejam elas inocentes ou culpadas… assim elas ainda não viram nada do que você escreveu no blog e redes sociais!”

Resposta: Também acho que pode ser isso. Não faz sentido eu ter feito denúncias graves com relação a pessoas publicas e até agora nenhum policial, militar ou advogado tenha me procurado. É algo sem sentido nenhum. Como você disse, inocentes ou culpadas, essas pessoas deveriam acionar meios legais (ou até ilegais) para remover seu nome do meu blog e contas de denúncias no Twitter e Instagram, como a conta MKULTRABR que criei em julho de 2016 e denunciei o nome de várias pessoas importantes que estariam envolvidas com a tortura eletrônica e espionagem remota. Muito estranho mesmo que até agora nenhuma polícia ou escritório de advocacia tenha me procurado. Uma censura com filtros de conexão interpessoal é a explicação mais lógica. Então, inocentes ou culpados, os nomes denunciados por mim, provavelmente, ainda não leram as minhas revelações. Estão sendo bloqueados pelo escudo do underground formado por militares, policiais e cientistas inescrupulosos – todos criminosos e que estão por trás do comportamento humano anti-inteligente, como crimes, incidentes e situações sociais estranhas ou bizarras.

 

Pergunta: “Para quem está sendo atacado pela tortura eletrônica, o MKULTRA, quais dicas você dá para combater ou vencer esses grupos de voyeurismo e torturadores remotos?”

Resposta: É uma pergunta complexa, pois parece que cada caso é único. Embora todas as vítimas passem por situações parecidas, parece que toda tortura eletrônica é feita de forma personalizada. Sendo assim, fica difícil dar dicas ou estratégias que possam funcionar com todos, embora eu possa relatar a minha experiência e dizer o que tenho feito para me esquivar desses grupos. A coisa mais básica para quem sofre com esquizofrenia eletrônica é brigar com as vozes internas, com a telepatia sintética. Isso parece uma postura de praxe com todas as vítimas. Embora possa parecer coisa de louco você falar sozinho com pessoas que não vê, isso é aconselhado por mim. Tenho feito isso desde o começo do ataque, lá em 10 de junho de 2015. Eu realmente tenho brigado com as vozes. Isso, quase sempre, dentro do meu apartamento. Evito fazer isso na rua, pois assim seria visto como um maluco. Só que depois das revelações do Wikileaks, ficou claro que você nunca está sozinho, e sempre tem alguém ouvindo você, mesmo se estiver só na sua casa. Também não posso esquecer de falar que minha TV smart possui o recurso de microfone, já que ela aceita comandos de voz. E obviamente está conectada a internet, pois uso muito o Netflix e o YouTube nela. Então eu não tenho dúvidas que minha voz está sendo captada, principalmente dentro do meu apartamento (também não posso esquecer de falar do meu iPhone que está sempre ligado e perto de mim, e que pode, e é usado como espionagem remota). E o mais interessante é que eu sinto e escuto o feedback desses grupos de voyeurismo e de tortura. Parece que de fato eles estão escutando a minha voz, mesmo quando estou “falando sozinho” dentro do meu apartamento. Por isso, eu não me sinto mais sozinho. Parece que sempre tem pessoas me assistindo, e vendo tudo o que vejo, escuto e sinto.  Como já citei aqui o exemplo, me sinto o personagem do filme O Show de Truman, consciente que está sendo visto e influenciado remotamente. Então essa seria a dica principal que eu daria a uma vítima de tortura eletrônica. Não aceite as vozes internas, a telepatia sintética, brigue e discuta com a vozes. ELES ESTÃO OUVINDO VOCÊ. O Wikileaks deixou isso bem claro. Não é coisa de maluco, de pessoa carente ou que quer aparecer, de viciado em teoria da conspiração, fã de David Icke, e nem de esquizofrênico ou drogado.  Isso é real, está acontecendo. Precisamos divulgar que já existe uma parafernália eletrônica e hi-tech para espionar qualquer ser humano, em qualquer lugar do planeta – como relevou o WikileaksEntão não tenha vergonha ou medo, brigue com as vozes e com esses grupos de malucos que assistem você. Repito novamente, ELES ESTÃO OUVINDO VOCÊ. Mostre que você não aceita as vozes de comando. Mostre que você não aceita as sensações que recebe, como vontade maluca de dormir, de brigar com uma pessoa, de fugir de alguma situação na vida social, etc. Deve ficar claro que a tortura eletrônica vai muito além da tecnologia militar que coloca vozes dentro da sua cabeça, chamada tecnicamente de Voice-To-Skull, a telepatia sintética ou, como eu chamo, de esquizofrenia eletrônica. A tortura eletrônica também contém sensações e vontades que são enviadas diretamente para o cérebro do indivíduo alvo. A boa notícia é que a vitima sente que é algo artificial e pode neutralizar essas vontades ou sensações corpóreas atípicas, não-naturais e externas. Então, se quer uma dica boa minha para lutar contra a tortura eletrônica e esses grupos de filhos da puta, é essa, brigue com esses caras e com as vontades e sensações corpóreas que você sente que não artificiais, que vem de fora, que não são suas, e que apenas atendem a vontade de terceiros. Fique muito consciente do seu corpo, das suas emoções, dos seus pensamentos, das suas vontades, assim poderá identificar intrusos dentro da sua mente tentando dirigir a sua vida para que atenda aos interesses e desejos deles. E a outra dica é: torne isso tudo público. Coloque nas suas redes sociais, no seu blog (ou crie um), e relate a sua experiência. Isso vai ajudar até mesmo seus amigos, vizinhos e familiares, pois eles vão entender melhor o que está se passando com você. Mesmo que não acreditem de início, como ocorreu com minha família, eles vão ter uma boa teoria, com boa base de dados concretos e relatos de vítimas, para explicar o que está acontecendo com você. Comigo foi assim. No inicio apenas fui visto como um esquizofrênico pela minha família. Hoje não, já aceitam a ideia que isso se trata de algo externo a mim, de uma tortura eletrônica e remota. E este blog ajudou eles a ter novas compreensões sobre os fatos estranhos que estão ocorrendo comigo, e com outros.

 

Pergunta: “A pornografia do futuro será baseada em jogos e vídeos em primeira pessoa que usam óculos VR para gerar uma imersão em outra realidade, enganando o cérebro. Você disse que hoje já usam imagens ilegais em tempo real e vídeos nossos que são jogados para dentro de óculos VR, eles se sentem como nós. Isso é obtido através do avião espião do Pentágono X37-B, como você revelou no seu post principal de denúncias do MK ULTRA. Pode falar mais sobre o sexo imersivo que é feito de forma ilegal por esses caras?”

Resposta: Isso, igual a este vídeo que apresenta a pornografia via óculos VR. Só que ao contrário do vídeo que são atrizes e atores pornôs, esses caras fazem isso com as nossas imagens. Ou em tempo real enquanto nos masturbamos ou fazemos sexo, ou de gravações de situações sexuais ou intimas nossas. Através do óculos VR, eles se sentem como se fossem a gente. Isso é feito e comercializado de forma ilegal no underground desde os anos 80. Não é nada novo.

 

Pergunta: “Você disse que no underground eles vendem a cura de doenças ligando o metabolismo de quem paga por isso em diversos humanos, assim as pessoas que foram ligadas nesses, digamos, compradores doentes, são destruídas, se enchem de doenças, problemas de saúde, tem o sistema imunológico destruído e por isso se sentem simplesmente horríveis, que muitos definem como ‘uma fase ruim’, pois passa a dar tudo errado na vida dessa pessoa porque até na parte social a vida dessas pessoas seriam afetadas… poderia falar mais sobre essa linkagem metabólica de seres não saudáveis com seres saudáveis que, em virtude disso, se tornam em nada saudáveis, ficam doentes ou se tornam pessoas ferradas onde tudo passa a dar errado… fale mais sobre isso… e como se proteger?

Resposta:  Isso ocorre mesmo. No underground isso é um serviço. Eles, os militares e cientistas do underground, usam isso para eles mesmos, e seus familiares e amigos. E também vendem ou oferecem a quem eles querem comprar ou influenciar, todas pessoas ricas e influentes, aqueles que se tornam patrocinadores dos experimentos, tecnologias e das armas hi-tech que ficam restritas apenas ao underground no planeta. Basicamente é isso mesmo que você descreveu, enquanto eles melhoram a vida deles, eles destroem a vida de outros. Como eu denunciei aqui no blog e na conta do Instagram MKULTRABR, já existe uma tecnologia militar hi-tech e remota que consegue linkar um ser humano no outro, sugando o metabolismo do ser linkado, do indivíduo alvo, como eles chamam, e favorecendo o primeiro ser humano que foi ligado nessa vítima. Dessa forma a vitima tem o corpo e vida destruída, enquanto que a outra pessoa tem a vida favorecida. Por exemplo, eu poderia linkar o atual presidente americano Donald Trump nos meus vizinhos do prédio, assim, quando Trump tiver uma  gripe forte, os sintomas são todos compartilhados com os meus vizinhos, assim ele fica apenas com os sintomas de um simples resfriado. Esse foi só um exemplo para ilustrar, porque é muito mais sofisticado do que isso. Por exemplo, usando essa mesma tecnologia hi-tech que pega algo ruim de uma pessoa e envia para outra, também dá para pegar as sensações corpóreas de prejuízo, como medo, insegurança, desconforto, ansiedade, etc, e, ao invés de uma pessoa ter, é repassado para outra (ou outras) pessoa(s). Desta forma, a pessoa favorecida seria socialmente vista como segura, confiante e destemida. E obviamente, a desfavorecida, que receberia as sensações da outra, seria vista como medrosa, temerosa, ansiosa e insegura. Enfim, seria vista como uma pessoa inferior. Essa transferência de doenças ou sensações corpóreas negativas (prejuízos sensoriais) é usada 24h por esses caras que estão no underground. Isso é coisa dos americanos e russos. Eles usam essa transferência de prejuízos desde os anos 80. Quanto a como se proteger, busque sua autossuficiência, não seja dependente de nada e nem de ninguém. E melhore o seu metabolismo. Procure se alimentar bem, incluindo suplementação, e ter uma vida o mais saudável e interessante possível. Esses caras preferem pessoas comuns, com vidas ordinárias, com um metabolismo já fraco. Essas pessoas são as mais fáceis de sugar como uma bateria.    

 

Pergunta: “Muito interessante esse assunto sobre o underground do planeta Terra. Não acho que seja loucura da sua cabeça. Pra mim isso tudo faz sentido, só juntar os pontos, teve revelações do Edward Snowden, depois teve o vazamento do Wikileaks, agora revelações bomba do Rafael Bandeira Corrêa, o respeitado criador do Persuasao.com.br e autor do blog Sedução e Persuasão, então tudo faz sentido pra mim, só ligar os pontos. Também estudo teorias da conspiração e ufologia desde os anos 90 quando todo mês comprava a revista UFO.. Lembro que li sobre um grupo, chamado Majestic 12, de pessoas de alto nível que teriam contato com esses assuntos underground de manipulação psíquica e também assuntos de ordem extraterrestre.  Esse comitê do underground ainda existe, foi aumentando com o tempo, o que você tem a dizer sobre isso? Por favor, siga revelando mais informações. Eu sei que essas informações não são pra todos, nem todos estão preparados. Mas tem muita gente que já desconfiava desses segredos que você está agora  revelando no seu blog. Então mesmo que achem que você enlouqueceu, siga divulgando. Muitos acreditam 100% em você! Você influencia positivamente muita gente com suas ideias!”

Resposta: Valeu pelo apoio. Como você mesmo disse, isso aqui não é para todo mundo. Nem todos estão prontos para essas revelações. Mas tenho certeza que meus leitores, em maioria, estão prontos para compreender melhor o que está oculto no planeta, e na própria vida. O que revelo aqui explica, em parte, o próprio comportamento humano, incluindo toda a dinâmica social que é 85% manipulada remotamente por equipes, pessoas, computadores e suas tecnologias e armas hi-tech de influência psíquica, metabólica e sensorial. Segundo dados que tenho, o grupo Majestic 12 aumentou para cerca de 200 pessoas. São pessoas que possuem acesso a informações e tecnologias ocultas hi-tech de manipulação metabólica, psíquica e sensorial, seja no campo individual, do indivíduo alvo, isolando uma pessoa e modificando toda a vida dela, e no campo social, no coletivo, de influência psíquica e sensorial atingindo bairros e até cidades inteiras, tudo feito de forma remota e eletrônica.

 

Pergunta: “O que você diz é chocante. Você está dizendo que cerca de 85% do comportamento humano está comprometido porque é fruto da ação de outros seres, todos inescrupulosos e criminosos, e que esses caras do submundo que vigiam todos e ainda dirigem o comportamento humano tudo de forma remota, sem chegar perto, até milhares de quilômetro de distância estão nos operando que nem se opera um drone? Literalmente estão nos vendo como robôs Surrogates? Há mesmo um grande investimento do submundo militar e científico nessas pesquisas de controle da mente para converter o ser humano num personagem de vídeo game para ser jogado a distância igual o filme Gamer?”

Resposta: Isso mesmo. Esses caras do undergroud levam essas pesquisas de controle mental, influência psíquica/metabólica e direcionamento de vidas (tudo remoto) muito a sério. Levam tão a sério que em 70 anos de pesquisas e experimentos cruéis contra a espécie humana (e animais) criaram um grande arsenal de armas psíquicas, sensoriais, metabólicas e manipulativas – no jargão militar, armas psicotrônicas. O grande objetivo disso tudo é esse que você falou mesmo. É nos jogar REMOTAMENTE como robôs Surrogates, ou como foi ilustrado no filme Gamer. E está tudo público na internet. Estão gastando bilhões de dólares com isso (sei que o orçamento desses caras é ilimitado). Por exemplo, leia essa noticia, e depois essa aqui. Por isso eu reitero, temos que parar esses caras o quanto antes, ou então vamos ser convertidos em meros personagens, avatares ou robôs de um jogo sádico e fetichista de um pequeno grupo oculto formado por seres humanos sem escrúpulos. E que fique bem claro, a neurociência, juntamente com a cibernética, já estão corrompidas por indivíduos sem caráter e respeito algum com o semelhante.

 

Pergunta: “Cara, essa história é muito louca. Fico pensando aqui, se o ser humano consegue jogar o próprio ser humano, será que ele, o jogador, também já não é jogado por outra raça, de outro mundo ou realidade? E se formos pensando nisso sucessivamente pode chegar ao infinito, com um planeta ou mundo jogando outra realidade? É bizarro. Já pensou nisso? É complicado, não estou duvidando dessa historia, mas é curioso e até apavorante pensar que um mundo joga outro e o ser humano pode ser apenas um mero personagem de um videogame cósmico. Mas quem é verdadeiramente o jogador, já que o jogador é jogado por outro jogador…  é como se o avatar do Second Life tivesse consciência própria e criasse uma terceira vida no game, e assim sucessivamente ou infinito…. é bem bizarro… será que dá pra entender isso? Como você acha que esses caras do underground encaram essa equação maluca? É de enlouquecer qualquer um, acho que até o Stephen Hawking. Quem joga o jogador principal? Quem é ele? Seria Deus? Você é inteligente, quero ver qual a sua resposta… kkkkk”

Resposta: Essa questão é clássica. Já pensei nisso algumas vezes. Mas eu acho que para chegar nesse nível, de jogar outro ser humano, ou seja, operar um avatar da própria espécie, você tem que estar, primeiro, dissociado da realidade, e dos seres que deseja jogar. É como se tivesse outro planeta, mundo ou realidade dentro da própria realidade jogada. Segundo dados que tenho, isso já foi conseguido, e aqui mesmo, no próprio planeta Terra em bases militares secretas underground. Como revelei no post principal de denúncias, há aqui mesmo, no planeta Terra, um Universo inteiro de mundos e realidades com seres humanos dissociados da realidade humana. Eles nascem num ambiente controlado e tem toda a vida dirigida por humanos que criam uma realidade paralela, ou secundária, dissociada da realidade primária, a vida humana como a conhecemos. Muitos acham que estão em “Marte”, “Vênus”, “Devas”, “Plêiades”, “Orion”, “Sírius”, etc. Como já revelei, muitos até mesmo vivem dentro de naves espaciais fake. E acham que estão viajando pelo cosmos. Para entender, veja o filme A Vila. Ali mostra como vivem pessoas que estão dissociadas da realidade principal, e não a conhecem. Nascem e morrem numa sub-realidade, controlada por quem sabe do segredo, e criou isso, para atingir diversos fins ou objetivos dos seus idealizadores.  Tenho informações que isso ocorre aqui no planeta. Seriam cerca de 100 mil pessoas vivendo algo assim. Obviamente, elas jogas humanos e também são jogadas por quem as criou, e aqui mesmo, no próprio planeta. Quanto a outros mundos ou realidades, até universos, a mesma questão pode ser replicada. Eu não tenho dados para revelar quem joga o ser humano, de fora. Pode ser qualquer mundo ou realidade. O que tenho de informação, e é o que os caras do underground acreditam e trabalham, é que o planeta Terra, e todo o universo a sua volta, ou seja, o que o Hubble mostra, é apenas uma realidade dentro de uma espécie de “videogame cósmico”, que conteria um número infinito de realidades ou “universos”. Outra informação deles é que a nossa volta haveria múltiplas realidades ocultas que não vemos, mas que nos influenciam. Uma espécie de mundo de “fantasmas”, mas com seres físicos como nós. E é como no filme Os Outros. Muitos acham que nós somos fantasmas, que estamos mortos. Da mesma forma, nós achamos que esses seres ocultos que vivem a nossa volta (e alguns nos veem e interagem conosco de forma velada) são os reais fantasmas ou espíritos. Por exemplo, para ver como a coisa é complexa, muitos mundos ou realidades acham que esse é o mundo dos mortos, e interagem com os humanos como se eles estivessem numa espécie de limbo, inferno, purgatório ou umbral. Tratam todos humanos como mortos. Sobre quem é Deus, ou quem é o jogador primário, fica difícil dizer. Mas pode ser uma espécie de junção de todos os impulsos cerebrais ou intenções. Daí gera essa salada de frutas chamada “Universo” ou “videogame cósmico”, onde cada um tem sua versão para explicar o que é, como é, e principalmente quem o criou e quem o controla. Sei que no underground do planeta há dezenas de versões. Cada grupo tem a sua explicação ou ideia – são vários grupos que operam de forma oculta no underground influenciando a realidade Terra -, muitos nem se conhecem.

 

Pergunta: “Gostei da ideia que a vida é um jogo em primeira pessoa no modo multiplayer. Seria mais ou menos assim… o jogo está pronto, com todas as fases, desafios e inimigos prontos… o que muda é a forma como ele é jogado e a habilidade de cada jogador em avançar fase por fase e vencer todos os desafios e inimigos. Alguns chegam ao fim mais rápido, outros mais lentos, e alguns acham o jogo chato e deixam de jogá-lo e abandonam os desafios nas fases primárias. O que achou dessa minha explicação?”

Resposta: Muito boa. Como um jogo de videogame, o game já está pronto. Então, nessa ideia, a vida, a timeline já estaria pronta. O que muda é como você a vivencia, ou seja, como você joga o game. E como num game, o pano de fundo, o cenário já foi criado, os criadores do game já sabem como ele vai se desenvolver e terminar, mas a jogabilidade e o tempo para finalizá-lo depende de cada jogador. E como num jogo multiplayer, você vai precisar de bons parceiros/jogadores para jogar com você. Quanto melhor for a equipe, mais rápido e divertido será terminar o game vencendo todos os desafios gerados pelos idealizadores dele. Essa é uma boa ideia para explicar a vida.

 

Pergunta: “E esse videogame humano estaria sendo rodado onde? Qual seria o console? Computadores, mainframes, cérebros de outros, corpos de outros, etc? Onde essa realidade ou jogo está sendo gerada?”

Resposta: Há uma teoria no underground aceita por muitos. Ela diz que tudo o que você conhece como vida, realidade ou universo, estaria sendo rodado dentro do corpo da sua mãe. Então, com essa ideia, você ainda não nasceu. Você só nasce quando morre nesse mundo. A sua vida seria apenas uma projeção do seu córtex cerebral em desenvolvimento, uma espécie de sonho lúcido, que engloba os medos, inseguranças e anseios da timeline que você está em formação, em processo uterino. Por isso alguns, que estão em outra realidade, fora daqui, veem essa timeline como o futuro. Outros veem essa realidade como o passado. Recomendo que assista o episódio Playtest da terceira temporada de Black Mirror. Dá uma ideia sobre isso. Coloca tempo dentro de tempo e realidade dentro de realidade. O filme O Vingador do Futuro também dá essa ideia.

 

Pergunta: “Fala cara! Seu blog está fazendo sucesso na deepweb. Tem um fórum doido de teorias da conspiração com informações restritas que cita você como consultor da CIA. Será que você foi mesmo recrutado pela CIA que nem o filme O Novato e está trabalhando para eles? O que você tem a dizer sobre isso que falaram de você?”

Resposta: Eu trabalhando para a CIA? Isso é bobagem. Mas eu sei que o que ocorre no filme é real. Por exemplo, embaixo do Aeroporto de Denver há uma base underground. Lá há pelo menos 100 civis contratados pela CIA, que são treinados e trabalham lá dentro secretamente, igual ao filme. Também há operações externas. Cerca de 10% são agentes de campo que trabalham em operações de espionagem, sabotagem e até assassinato.

 

Pergunta: “Acho que tudo isso que você fala é verdade mesmo. Os caras espionam tudo e todos e o terrorismo no mundo só aumenta? Muito estranho isso. O que eles fazem com o conteúdo da espionagem? Acho que é masturbação mesmo. Não estão nem aí pra terrorismo, querem mesmo é bater punheta com vídeos, áudios e textos de pessoas bonitas e crianças.”

Resposta: É o mesmo que eu penso. Com tanta espionagem os ataques terroristas e demais crimes deveriam diminuir. Mas só aumentam. Não tenho dúvidas que o grande objetivo da espionagem é sexual (voyeurismo + sadismo).

 

Pergunta: “Numa campanha sobre respeito da Rede Globo mostrou um tetraplégico pilotando um carro de corrida usando comandos cerebrais. Essa tecnologia de usar ondas cerebrais como gatilhos para operar algo ou alguém de forma remota é o mesmo mecanismo que esses caras do underground já jogam o ser humano?”

Resposta: Sim, da mesma forma que no vídeo da campanha, isso já é feito com você, amigos e familiares. E o recado desse vídeo é: JÁ ESTÃO JOGANDO O SER HUMANO DE FORMA REMOTA. ISSO É TOTALMENTE POSSÍVEL. JÁ EXISTE TECNOLOGIA PARA ISSO. ACORDEM, POR FAVOR!

 

Pergunta: “Incrível ver um tetraplégico pilotando um carro de corrida só com o poder da mente. Mas ainda são apenas máquinas que o ser humano comanda. Os militares devem fazer o mesmo com drones ou aqueles robôs que desarmam bombas. Devem de controlar eles apenas via comandos cerebrais e a quilômetros de distância. Bom, ao menos isso nunca foi mostrado com humanos. Se existe é como você fala, algo clandestino, bem underground. A raça humana entraria em pânico se soubesse que pode ser jogada remotamente via impulsos cerebrais de terceiros. Bom, sei que deve ser difícil achar referências para isso além dos filmes clássicos que mostraram isso, como Gamer e Surrogates… você teria outro vídeo ou exemplo para ilustrar essa terrível possibilidade?

Resposta: Assista ao primeiro episódio do Projeto Coelho Branco no Netflix. Mostra uma cientista controlando remotamente uma barata, um inseto, e também controlando corporalmente outro cientista amigo. Os impulsos cerebrais que ela enviava remotamente eram captados pelo cérebro do amigo cientista e ele fazia o que ela queria (e deixava de fazer o que ele queria). Ele ficou 100% escravo dela. É uma cena bem chocante. A tecnologia usada nesse exemplo é bem rudimentar e simples. O que eles usam para jogar o ser humano de forma remota é muito mais sofisticado. Eles usam o avião espião do Pentágono X37-B que faz essa ponte via laser entre os comandos cerebrais, as ondas cerebrais do jogador, para dentro do cérebro da vítima. Tudo remoto, sem fios, sem dar bandeira. Tudo oculto, pois a vítima nem desconfia que está atendendo as vontades e desejos do seu “dono”, o operador que está, geralmente, há milhares de quilômetros de distância. E tudo isso não se restringe a laboratórios clandestinos ou bases militares underground. Já subiu para a superfície e está na casa de várias pessoas influentes, como chefes de estado, bilionários, sheiks árabes, altos executivos, políticos, policiais, militares, cientistas, etc.  Tudo isso é comercializado (ou disponibilizado) a essas pessoas. Preciso também dizer que tive acesso a um vídeo onde uma garota que teria uns 30 anos estava jogando um ser humano apenas por comandos corpóreos. Ela estava na frente de uma TV, de pé, e mexia os braços e pernas para fazer a pessoa ter ações que ela sugeria ao cérebro da vítima. Muito parecido com aquela cena do garoto no filme Gamer, quando ele joga o personagem principal apenas usando as mãos e braços. É como o videogame Wii. Infelizmente ainda eu não tenho como disponibilizar esse vídeo da garota. Isso depende de outras pessoas. Mas creio que em breve vou ter como disponibilizar documentos, áudios e vídeos que provam que o ser humano já está sendo jogado de forma remota como se ele fosse um mero personagem de videogame.

 

Pergunta: “No filme Matrix diz que a realidade que conhecemos é uma ilusão e que existe apenas como uma usina de energia para máquinas. Na teoria do underground isso é aceito? Qual a teoria deles? E essas máquinas são o que? Podem ser consciências sintéticas, digitais ou biológicas que se aproveitam das vidas humanas? Como você acha que essas consciências nos usam? Vivemos para quem?”

Resposta: Bom, na teoria do underground que eu tive acesso eles acreditam que algo ou alguém, e como você disse, pode ser uma consciência digital, sintética ou biológica, está por trás dessa realidade, e é quem teria nos criado, pois possui um objetivo com nossas vidas. E isso parece óbvio, pois tudo é criado para um objetivo. Então, pensando dessa forma, a vida humana seria apenas uma desculpa para que algo ou alguém se beneficie com ela. E igual ao filme Matrix, este algo ou alguém não estaria dentro da realidade que cria, controla e usa como baterias, mas fora. Só que isso não impede que o mesmo processo seja replicado dentro da própria realidade. E foi mesmo. Segundo dados que obtive, há milhares de seres humanos, e aqui dentro do planeta mesmo, que se beneficiam com as nossas vidas, extraindo prazer e conforto de cada ser humano, depois armazenando igual a uma usina de energia, e posteriormente injetando esse prazer e conforto como se fosse uma droga. Eles também fazem o que chamam de dissipação. Enviam tudo de ruim deles para os humanos. Então nós acabamos pegando sensações desconfortáveis, dores e doenças desses caras do underground. Resumindo, eles ficam com a parte boa da vida humana, e nós, com a ruim. Obviamente que não conseguem fazer isso 100% do tempo, caso contrário nenhum humano produziria prazer e conforto para ser extraído, na ideia da usina de energia, que parece que é real. Então, esses caras do  underground apenas dissipam, ou seja, compartilham conosco a parte ruim da vida deles. Não conseguem enviar 100% do prejuízo para nós que obtém da vida ao agir de má fé e cometendo os crimes que cometem. É uma questão complexa, mas acho que mais ou menos consegui explicar. Preciso ter acesso a mais dados desses caras do underground para dar uma explicação mais complexa e detalhada. Ainda não tenho todas as peças do quebra-cabeças. Falta muita coisa ainda para que tudo seja compreendido. E obviamente eu estou sendo atacado com armas sensoriais para não conseguir compreender e transcrever aqui no blog. Sempre que vou atualizar o blog me sinto péssimo. E sinto que meu corpo e saúde estão perfeitos. É algo externo. São sensações desconfortáveis enviadas para dentro do meu corpo, mas que não me impedem de racionalizar e digitar tudo isso aqui no blog.

 

Pergunta: “Vi o filme A Descoberta que mostra um enredo onde é provado cientificamente que existe uma realidade após a morte. E com isso a taxa de suicídio dispara de forma alarmante para mais de 4 bilhões em apenas dois anos. Todos querem conhecer a outra realidade que existe após a morte. Nesse filme é mostrado que na verdade é a mesma realidade que vivenciamos enquanto vivos que é gerada após a morte, mas não nos lembramos e acabamos fazendo escolhas novas que vão gerar uma outra realidade, quase o oposto da realidade que vivenciamos enquanto vivos. A morte é uma espécie de acerto de contas ou segunda chance para fazer o que não fez em vida por medo, preconceito, insegurança, etc. Acho que essa ideia do filme corrobora, confirma suas ideias. Parece que você pensa igual a esse filme, certo?”

Resposta:  Sim, penso o mesmo. E não só eu, os caras do underground pensam a mesma coisa. Quando morremos entramos em outra realidade, mas dentro dessa mesmo, e sem percebermos. A única dica é uma mudança moderada ou radical de vida. Então, por essa teoria, você pode ter morrido e nem percebeu. Os caras do underground que possuem até contato com aliens e seres multidimensionais, ou seja, seres que frequentam outras realidades, pensam o mesmo. Segundo eles, morremos várias vezes durante a vida, mas não percebemos. E para esses caras, cada ser humano teria, ao menos, e paralelamente, 11 vidas simultâneas, ou 11 dimensões/realidades. Como eu expliquei aqui, anteriormente, é certo que em outra realidade você está agora mesmo dentro de um caixão, mortinho da silva. E todos seus conhecidos e conexões tem 100% de certeza absoluta que você está morto.

 

Pergunta: “Pode dar algum exemplo real que mostra o Big Brother planetário? Talvez uma historia bizarra com alguém conhecido, tipo celebridade?”

Resposta: Tem uma história curiosa que aconteceu com a atriz da Rede Globo Isis Valverde. Ela foi usar o banheiro no Projac – atualmente chamado de Estúdios Globo -, e reparou na hora H que não tinha papel higiênico. Ela teria entrado em pânico. E um dos telespectadores do Big Brother que há nos camarins e banheiros da Rede Globo mandou alguém levar o papel higiênico para ela. E alguém levou o tal papel higiênico para a mulher mesmo. Ela achou muito curioso isso e comentou com colegas de trabalho. Desde então há boatos dentro da Globo que existem câmeras e microfones ocultos nos seus camarins e banheiros. E tem mesmo. Tive acesso a um vídeo que mostra o Big Brother num dos banheiros do Projac (Estúdios Globo). Os vasos são de ouro (imitação). E é frequentado pela mulherada gata e gostosa da Rede Globo. Só isso que posso fornecer por enquanto. Não tenho como dizer a localização exata do banheiro que vi no vídeo, nem quem o frequenta (no vídeo que tive acesso tinha uma mulher bem gostosa – não vou revelar o nome – usando o vaso sanitário grampeado). É quase certo que praticamente todos banheiros e camarins da Rede Globo estejam sendo monitorados de forma ilegal e clandestina. E parece que os diretores da Rede Globo sabem disso, e usufruem sexualmente desse Big Brother voyeur.  Em outras emissoras de TV brasileiras, como Band, RedeTV!, Record, MTV Brasil, canais GloboSat, etc, acontece o mesmo. Não há nenhuma privacidade.

 

Pergunta: “O que você tem de informação sobre as bonecas sexuais humanas que são comercializadas na deepweb? Isso existe mesmo ou é apenas lenda urbana?”

Resposta: Não é lenda urbana, não. Isso é real. Isso é até normal entre os caras do underground. Sei que há quadrilhas dentro da CIA, do FBI, da NSA, do Pentágono, na Interpol e Europol, e até mesmo dentro da Polícia Federal do Brasil que sabem disso e mantém tudo oculto, acobertam e ganham muito dinheiro com essa prática horrenda de transformar crianças em brinquedos sexuais.

 

Pergunta: “Essa sua experiência com o lado negro do planeta é surreal. Lembra até aquele cara do Acre que sumiu depois de estudar a fundo a mente. Ele passou por alguma experiência extrassensorial ou mística. Ele relatou que conseguia sair do próprio corpo. Mas ele não relata nada que foi atacado por armas psicotrônicas, apenas que escutava vozes e tinha contato com seres alienígenas. Tem gente que acha que ele enlouqueceu, que tem alguma esquizofrenia. Sobre você, acho que ninguém duvida que coisas estranhas aconteceram na sua vida.  Até o seu blog foi tirado do ar e misteriosamente voltou. A sua vida deve andar bem agitada. Algum estudioso desses assuntos extrafísicos já procurou você? Porque sua experiência parece ser única. Nunca li nada assim antes.”

Resposta: Não, até agora ninguém me procurou. Só recebi alguns emails de pessoas que relatam algo parecido, que se sentem monitoradas e afetadas com armas eletrônicas e demais tecnologias hi-tech, chamadas militarmente de armas psicotrônicas. Mas cada caso é um caso. Não tenho como comentar a experiência dos outros. O que posso fazer é relatar a minha experiência – como já fiz aqui no blog – e assim tentar alguma ajuda, talvez de pesquisadores, militares, cientistas, policiais, até psiquiatras. Curiosamente, até agora ninguém me procurou. Disso pode sair duas explicações: 1) nem estão lendo meu blog, pois foi bloqueado a eles através de um filtro web 2) acham meu relato maluco demais e não passa de mais uma dessas histórias de esquizofrênico que escuta vozes e se sente perseguido e atacado por agentes de serviços secretos, militares, cientistas e até famosos. Sobre a minha vida, ela começa a voltar ao normal. Parece que meu corpo está conseguindo se esquivar dos ataques oriundos de armas psicotrônicas. Talvez pela lei da adaptação. O corpo e a mente reage a esses ataques e passa a criar defesas e escudos. Então essa é a dica e a boa notícia que dou a quem está sendo alvo dessas tecnologias que visam destruir a sua vida. Siga em frente que uma hora vai parar. Não se entregue. Brigue com esses caras e exponha tudo na internet. Vai chegar a hora que esses caras não vão conseguir usar mais nada em cima de você. Eles se afastarão e vão até te respeitar.

 

Pergunta: “Cara, essa sua situação é complicada. Estamos falando de armas que alteram a mente e a própria internet denuncia que os militares estão queimando bilhões de dólares com isso. E se levarmos em conta que sim, há armas que alteram a mente das pessoas, seja individualmente ou coletivamente, então fudeu tudo. Porque porra, estão usando armas e tecnologias que afetam a mente para que tudo isso não seja levado à sério e investigado! Podem fazer com que todos que leem o seu blog achem uma historia maluca, sem pé nem cabeça…”

Resposta: Esse é o ponto. Para ver o problema que é provar que é tudo real. Esses caras estão acima das emoções e das sensações corpóreas, pois usam armas que afetam remotamente a psique e o corpo físico. Então eles afetam a mente e corpo de qualquer um. Podem até mesmo fazer alguém relevante, que poderia me ajudar, ler o meu blog e achar a minha história apenas engraçada, e que é coisa de maluco, de um esquizofrênico. Podem fazer com que todas as vítimas de armas psicotrônicas sejam vistas apenas como esquizofrênicos, como doentes mentais. Por isso eu disse que não é inteligente achar que é apenas maluquice da minha cabeça. E se não for? Isso jamais será parado se todos seguirem achando que é apenas historia de esquizofrênico. E está na cara que os donos dessas tecnologias hi-tech querem isso. O mais inteligente é pensar que tudo relatado por mim pode ser possível e ir seguindo as pistas fornecidas por mim até chegar na rede de pessoas que controlam o planeta pelo underground. E eu estou aqui para ajudar nisso. Podem me procurar que vou dar todas as informações sobre quem são e de onde esses caras operam. Sei de nomes e lugares. E vi várias imagens através do que esses mesmos caras chamam de técnica de visão remota.

 

Pergunta: “O que você está dizendo é que é possível alterar toda a química cerebral de forma remota usando a psicotrônica, a ciência da alteração da mente. E esses caras do underground alteram nossas vidas 24h mexendo com nosso metabolismo e a psique? Literalmente nossos corpos estão nas mãos deles. Além disso, eles scaneiam nossos cérebros usando tecnologia remota e hi-tech e sabem exatamente o que estamos vendo, falando, escutando, tocando, saboreando, etc?”

Resposta: Isso mesmo. O cérebro humano está sendo estimulado e scaneado remotamente. Vale uma investigação ou não? É algo importante demais para ser ignorado.

 

RAFAEL BANDEIRA CORREA
rbcorrea@gmail.com
Praia do Cassino, Rio Grande do Sul, Brasil
Março e Abril/2017